Frigorífico Ragale amplia investimentos com a meta de dobrar a produção ainda este ano

por frw publicado 21/01/2016 11h53, última modificação 21/01/2016 11h53
Presidente do Poder Legislativo, Lídio Signori, e o vereador Édson Dalmolin realizaram na tarde dessa quarta-feira, 20, uma visita à empresa

O presidente do Poder Legislativo, Lídio Signori, e o vereador Édson Dalmolin realizaram na tarde dessa quarta-feira, 20, uma visita ao Frigorífico Ragale. Os vereadores foram recebidos pelo Gerente Leonardo Graciolli Vanzin, que falou sobre os investimentos e solicitou apoio em relação às questões que emperram a expansão da empresa.

Apesar da crise econômica que afeta diversos setores, a empresa não parou de investir. Segundo Leonardo, apenas nos últimos seis meses, foram investidos quase R$ 1 milhão de reais em máquinas, equipamentos e obras de melhoria e ampliação. Entre os investimentos mais recentes, a aquisição de uma nova caldeira para geração de vapor, uma embutideira importada e um reservatório de água de maior capacidade, além de melhorias na sala de abate e a construção de uma nova sala de desossa.

Além de ampliar a infraestrutura, a empresa mantém o vínculo com cerca de 50 funcionários e poderia inclusive contratar mais pessoas se tivesse liberação para abater mais animais. No entanto, o crescimento do frigorífico esbarra nas limitações impostas pelos órgãos de fiscalização. Conforme Leonardo, a empresa abate atualmente 120 suínos por dia, tendo capacidade para abater 300 suínos/dia.

“Essas obras de reforma e ampliação deveriam estar concluídas há dois anos, mas em razão das licenças e a falta de recursos financeiros a empresa teve que adiar sua conclusão. O que aconteceu, devido a nossa limitação de abate, consequentemente houve uma significativa redução de receita para a empresa o que nos impossibilitou finalizar estas obras, assim foi necessário paralisá-las temporariamente até reunir novos recursos financeiros para dar continuidade. Naquela época tínhamos mais funcionários que hoje”, lamentou Leonardo. Nessa época, há cerca de cinco anos, o Frigorífico Ragale estava entre os três abatedoruros cadastrados na inspeção estadual (CISPOA), que mais abatiam suínos no Estado do RS, e a sexta indústria em termos de arrecadação em Frederico Westphalen. Com a limitação, o frigorífico além de reduzir o número de funcionários deixou de dar maior retorno fiscal ao município”.

Mesmo com índices expressivos no que se refere ao retorno de impostos para o município, o Frigorífico Ragale é a única entre as maiores industrias do município que não possui o seu acesso pavimentado ou asfaltado. A empresa está localizado na Linha 21 de Abril, entrada para a linha São Brás, o pátio do frigorífico fica há cerca de 300 metros da ERS 591. Leonardo afirmou que procurou a Administração Municipal em várias ocasiões, porém não recebeu nenhuma resposta de que a obra seria realizada. O gerente administrativo afirmou que por tratar-se de uma indústria de alimentos é exigência do órgão de inspeção estadual ter seu acesso e suas dependências pavimentadas ou asfaltadas para eliminar o acumulo de poeira e o barro em dias chuvosos.

Destaque entre as empresas locais, o frigorífico também é referência em abate para dezenas de fábricas de embutidos da região. “As indústrias de embutidos da região compram o nosso produto, nós fecharmos, eles também estarão sendo prejudicados”, alertou.

O planejamento da empresa é dobrar a produção ainda este ano. “Hoje nós temos estrutura para isso, mas dependemos da liberação”, ressaltou Leonardo. No momento, estão sendo encaminhadas as obras para construção de três câmaras frias e demais ampliações no setor da produção para fabricação de novos produtos – totalizando 2 mil m² de ampliação.

Ao término da visita, Signori e Dalmolin comprometeram-se em buscar junto ao Executivo Municipal a pavimentação do acesso ao frigorífico.

Lucas Faustino/ Assessoria de Imprensa

error while rendering plone.comments